O que fazemos

A tecnologia de PRECO

A tecnologia de PRECO está principalmente baseada no processo termoquímico denominado pirólise, significativamente diferente do proceso denominado incineração, amplamente usado na eliminação de resíduos.

O processo de pirólise consiste na decomposição térmica da matéria, levada a cabo a elevadas temperaturas e em atmosfera inerte, não existindo, portanto, qualquer combustão. Dito processo permite a obtenção de diversos produtos de elevado valor acrescentado, fomentando a economia circular, baseada na recuperação da matéria e da energia dos resíduos em vez da sua deposição em aterro, de acordo com o enquadramento normativo europeu.

1. Pré- tratamento de resíduos

Obtenção de CSR

A actividad de valorização proposta por PRECO reduz o volume de resíduos destinado a aterro, cumprindo com o indicado no artigo 5 do Real Decreto 1481/2001, no qual se destaca que a quantidade de resíduos biodegradáveis a depositar em aterro deverá ser minimizada, dando prioridade à sua valorização mediante reciclagem, compostagem, energia recuperada de resíduos e outras formas de valorização.

Assim, determinados resíduos não perigosos são submetidos a processos de caracterização, seleção, triagem selectiva, eliminação de metais e materiais impróprios e não recuperáveis, assim como a processos de trituração e de refinagem, obtendo o denominado combustível sólido recuperado (CSR), destinado à valorização energética ou à valorização material.

O CSR obtido cumpre com as normas europeias relativas à qualidade, control e certificação, especificadas pelo Comité Europeu de Normalização CEN TC 343, no qual participa igualmente a AENOR. O standard EN 15359/2011 elaborado por dito Comité aponta as especificações de qualidade exigidas, assim como as diversas categorias de classificação, segundo os valores dos parâmetros, destacando o Poder Calorífico Interior (PCI), relacionado com a rentabilidade económica, o cloro (Cl), relacionado com a tecnologia de valorização e o mercúrio (Hg) relacionado com as emissões.

O CSR está formado principalmente por percentagens variáveis das seguintes frações:

• Biomassa procedente da fração orgânica de resíduos urbanos. A biomassa está composta principalmente por papel, cartão, madeira, restos vegetais, restos de alimentos, celulosas e outras matéerias orgânicas.
• Mistura de plásticos procedentes de resíduos urbanos. Esta mistura está composta por uma diversidade de plásticos de embalagens e outros materiais plásticos de pós-consumo.

A qualidade final do CSR obtido depende do material residual de procedência, assim como da tecnologia usada no seu fabrico.

2. Pré- tratamento de biomassa

PRECO ostenta a tecnologia necessária para a valorização da fração orgânica procedente de resíduos domésticos, comerciais, industriais e bio-resíduos, assim como de biomassa agroflorestal.

Com o objetivo de homogeneizar a matéria residual a valorizar, de reduzir a sua humidade inicial e diminuir a sua granulometria, e também para aumentar a sua superfície específica, desenvolvemos distintos processos de pré-tratamento orientados a conseguir as características apropriadas de ditos resíduos, em referência à sua valorização.

Entre os pré-tratamentos desenvolvidos destacam os seguidamente indicados:

• Secagem

• Lascagem

• Trituração

• Moagem

• Adensamento

3. Pirólise térmica

A pirólise é um processo anaeróbico de decomposição da matéria, desenvolvida a elevadas temperaturas em atmosfera inerte, permitindo a transformação de macromoléculas, também denominadas polímeros, em moléculas de menor tamanho, mediante cracking.

Dez anos de I+D+i, em colaboração com diversos centros tecnológicos e universidades, precedem o desenvolvimento do processo termoquímico de pirólise catalítica realizado por NEOLIQUID. Este processo permite a valorização de múltiplos resíduos domésticos, comerciais, industriais e bio-resíduos, assim como de biomassa agroflorestal, obtendo diversos produtos de elevado valor acrescentado.

Actualmente a actividade de PRECO inclui tecnologia a escala industrial em instalações de promoção própria baseadas no processo anteriormente mencionado.

4. Planta móvel uso militar

O processo de I+D+i desenvolvido entre PRECO, DETEGASA e ARGOS DEFENSA permite a valorização de resíduos mediante a tecnologia de PIRÓLISE TÉRMICA em planta móvel para instalações militares de carácter temporal ou permanentes.

Assim, a tecnologia é transportada em contentores de 40 pés, permitindo a valorização da matéria na área de produção, tratamento ou armazenamento dos resíduos, evitando o seu traslado.

Destacamos, igualmente, a agilidade administrativa em quanto ao trâmite de autorizacões, permissos e licenças correspondentes à realização destas actividades, dadas as suas características.

O que fazemos